Desistir jamais! Saiba como ter esse lema com equilíbrio

Navebook

Navebook

Navebook é um blog contendo informações sobre Produtividade e Alta Performance, que oferece artigos direcionados a estes temas, com foco principal no trabalho. Todo o conteúdo é produzido e organizado para você, leitor. Aproveite, participe e deixe-nos a sua opinião.

Desistir jamais! Sobre essa filosofia de vida, a querida Clarisse Lispector, absolutamente inspirada, certa vez disse: “Ignore, supere, esqueça. Mas jamais pense em desistir de você por causa de alguém”. E, partindo da premissa trazida por essa notável escritora, completo que a perseverança deve ser o mote também daqueles que pretendem alcançar o sucesso profissional. Assim deve ser todo aquele que mira a ascensão na carreira. Mas persistir em quê? Está aí um ponto importante de ser refletido.

Antes de mais da nada, é importante focalizar sua atenção quanto ao propósito de vida (falamos sobre isso por aqui). Caso não tenhamos traçado um objetivo (seja no campo pessoal ou profissional) é praticamente impossível estabelecer metas e, de igual modo, motivar-se a vencer as próprias limitações e desafios. Daí a importância de sempre reavaliar os rumos que temos tomado em nossa carreira se eles estão alinhados aos objetivos que desejamos para nossa vida profissional.

Por que é mais fácil desistir se não tenho um propósito de vida?

  • Desculpas e mais desculpas: se não tiver clara essa meta em nossa jornada, qualquer desafio que surgir, por menor que seja, será uma justificativa para não seguir adiante.
  • Conformidade: existe uma frase clássica em gestão que destaca que “para quem não sabe qual meta deseja alcançar, qualquer resultado compensa”. A perigosa zona do conforto, sobre a qual já falamos por aqui, pode ser um comportamento que facilite a desistência de metas e objetivos.
  • Adiar tudo a todo tempo: ao não ter um propósito de vida, podemos também ser envolvidos por outro comportamento bem próximo da falta de persistência: a procrastinação. Em outras palavras, sempre deixar para depois e acabar adiando a realização de tarefas que possam levá-lo ao crescimento profissional.

Como mencionamos aqui, é importante ficar atento a alguns sinais que podem demonstrar pequenas desistências em nossa jornada (adiar tarefas, permanecer na zona de conforto, justificativas e mais justificativas, e assim por diante). Avalie caso algum hábito desses citados esteja presente em sua rotina. Identificá-lo é o primeiro passo para mudar. Fique atento a isso!

Desistir jamais versus mudança de prioridades

Outra característica importante que precisa ser dita nesse assunto diz respeito a mudança de prioridades que, invariavelmente, possamos ter em nossa vida. Aliás, conforme temos novas experiências e aprendizados é natural que possamos ampliar nossas perspectivas e estabelecer metas ainda mais desafiadoras. Quando falamos por aqui sobre a perseverança, não quer dizer que, ao estabelecer um objetivo, ele não pode ser mudado. É sempre importante ter isso em mente!

Reavaliar constantemente nossos objetivos é um passo importante para que possamos detectar se estamos no caminho certo ou, ainda, se é necessária uma correção de rumo. E é nessa hora, inclusive, que podem surgir novas ideias, sobre as quais possamos estabelecer novas prioridades, a partir dos fatores externos que possam estar ainda mais a nosso favor.

Quando estabelecemos essa revisão, podemos estar suscetíveis a mudanças, que são benéficas. Mas, lembre-se que, traçar metas maiores, mais arrojadas, não é uma atitude encarada como desistência e, sim, uma mudança de prioridade.

E quando a persistência vira teimosa?

É necessário acender outro sinal de alerta quando estamos diante desse cenário. Ao desenvolver nossa sensibilidade, estaremos mais aptos a identificar a linha tênue que existe entre perseverança/persistência e a teimosia/insistência em algo que não vai nos render aquilo que desejávamos. Genial, Albert Einstein foi enfático ao cravar: “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

Nesse sentido, é válido estar atento aos sinais de alerta que listaremos abaixo para perceber se estamos diante uma teimosia:

  • Tem se dedicado cada vez mais e tem a sensação de não sair do lugar?
  • Tem feito atividades diferentes para o mesmo objetivo?
  • Não alcançou nenhuma meta que estabeleceu para esse propósito?
  • Pessoas diferentes têm dito a você que pode ser impossível esse objetivo?

Se você respondeu a “SIM” para 3 ou 4 das perguntas acima, passou da hora de acender o farol amarelo. Algumas causas para isso são várias: podem ser desde você ter estabelecido um propósito surreal, difícil de ser atingido (e dessa forma, venha tendo dificuldade de alcançá-lo). Outra causa possível ainda é que talvez você possa não ter conseguido traçar um bom planejamento e, desta maneira, as ações não estão bem alinhadas à trajetória que levaria ao cumprimento da meta. Também pode ser um indicativo que novas possibilidades não foram tentadas e, com isso, embora você se esforce, a energia empreendida pode não gerar os resultados almejados.

BÔNUS: estar atento a esses pontos que mencionamos o fará enxergar de maneira diferente a questão sobre o lema “desistir jamais”. Avalie calmamente o seu contexto, os desafios pelos quais passa, para que você possa alcançar com equilíbrio o crescimento profissional, sem trazer prejuízos a você a sua saúde.

Há um provérbio chinês que é categórico e conclui muito bem esse tema que tratamos por aqui: A persistência realiza o impossível. Pense nisso!

E você: quais ações têm feito para não desistir de seus objetivos?

Gostou do conteúdo? Compartilhe e Siga-nos!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram