Receba novidades no e-mail

CONTEÚDO VIP

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Um inimigo chamado procrastinação

Um inimigo chamado procrastinação

Procrastinação significa adiar tarefas, o famoso “deixa para depois”.  Na prática, é mais ou menos assim: de um lado, as louças na pia; os livros marcando nas páginas trinta e pouco; os exercícios da faculdade… de outro, o feed do Facebook, com uma lista interminável de possibilidades de fisgar sua atenção, ou ainda o Netflix, cobrando para você concluir mais uma temporada da sua série favorita.

Pesquisadores atestam que nosso olhar tende a ser mais generoso com aquilo que nos oferece um prazer instantâneo. Trocando em miúdos: é quase que parte integrante do nosso instinto deixar os deveres para o segundo plano. E não sou eu que estou falando isso! O pesquisador da Universidade de Calgary, no Canadá, psicólogo Piers Steel, já conduziu vários estudos sobre o tema e reuniu o resultado dessas análises no livro A Equação de Deixar para Depois.

De onde vem a procrastinação?
Há vários fatores que contribuem para alimentar o hábito de adiar tarefas. Piers lista três que ele percebeu com mais frequência entre os seus pesquisados:

1) a falta de confiança (não estar à vontade – ou seguro mesmo – para cumprir aquele dever);

2) realizar tarefas chatas (aquela máxima: “não faça hoje o que você pode fazer amanha” – péssima, por sinal);

3) distração causada pela impulsividade (várias notificações no celular, infinitas abas no seu navegador e por aí vai).

Pesquisei em blogs e em páginas de rede social alguns fatores que interferem na rotina de procrastinadores assumidos. E muitos fazem coro ao afirmar: o ambiente em que estamos inseridos (ruídos, telefonemas, interrupções…) interfere – e muito! – na cultura de deixar para depois. Não saber distinguir as tarefas urgentes das importantes também contribui para escolhas erradas sobre como gerenciar melhor o tempo. As consequências são várias: a procrastinação rouba nosso tempo, mina a produtividade e dá uma sensação de ineficiência. Numa época em que nosso tempo vale muito, acabar com a procrastinação é um compromisso inadiável (sem qualquer trocadilho).

Ok, não quero deixar para depois… Quero mudar agora!
O primeiro passo é compreender muito bem o que está tirando sua atenção. Recomendo a você que faça uma lista para identificar: 1) quais tarefas você está adiando e 2) o que você está colocando no lugar delas. Faça um empenho para observar isso por uma semana (lógico que nem tudo você vai conseguir anotar, mas esforce ao máximo). Quanto mais informação, melhor saberá agir na solução deste desafio. Abaixo listei algumas recomendações para eliminar a procrastinação:

1) Conte com amigos
O primeiro passo para a mudança é tomar atitude. Mas antes que os desafios da nossa rotina testem nossa disciplina e foco, transmito a você um conselho poderoso: compartilhe sua meta com uma amiga no trabalho ou seu amigo na faculdade, e peça ajuda para cobrá-lo nisso. Um incentivo de quem está ao nosso lado ajuda a não deixarmos de lado uma mudança de hábito tão importante.

2) Fracione tarefas
Relacione as tarefas detalhando melhor as atividades que têm de ser feitas. É um erro comum preparar essas listas com tópicos muito amplos, por exemplo: limpar a casa / revisar matérias da faculdade e por aí vai… Opte por preencher: tirar o pó dos móveis; organizar o guarda-roupa; ler o capítulo 2 do livro de História, e assim por diante. Dividir em pequenas tarefas nos dá mais clareza sobre o que tem de ser feito. Além de recorrer várias vezes à lista, também podemos propiciar ao cérebro a extraordinária sensação de produtividade ao riscar aquilo que já foi feito.

3) Faça hoje a lista dos compromissos de amanhã
Ótimo, agora que você já aprendeu a elaborar suas listas (sem pegadinhas), procure fazê-las sempre no dia anterior (ao término do expediente ou ao fim da aula). Assim, ao chegar novamente no escritório ou na faculdade, saberá o que fazer, sem ter de gastar energia com isso (ou correr o risco de distrair-se com outras possibilidades). Uma recomendação minha também é fazer essa programação semanal. Tenho feito e está dando certo 🙂

4) Dê adeus ao soneca
Muita gente antes mesmo de pôr o pé no chão, acaba adiando a primeira tarefa do dia: a de levantar e preparar-se para sua jornada. Por isso, programe-se para despertar logo nos primeiros toques, arrume-se, tome um café reforçado e ouça uma música que transmita bastante energia no trajeto à faculdade ou trabalho. Se for de transporte coletivo, é uma hora valiosa para revisar suas metas do dia que está começando.

5) Estabeleça desafios
Lembram-se que uma das causas de adiar as tarefas é porque, eventualmente, temos compromissos chatos a serem cumpridos? Muita gente tem usado a regrinha dos 3 minutos: dar esse tempo para iniciar uma tarefa chata (muitas vezes, só o fato de iniciarmos a atividade, nosso cérebro nos desafia a concluí-la). E esse tempo já é suficiente para engajar nossa atenção.

6) Use a tecnologia com moderação
É inegável que as novas mídias e os dispositivos móveis (como celulares e tablets) ajudam no nosso dia a dia. É importante ter atenção se eles estão fazendo você perder tempo. Pensando nisso, vários desenvolvedores criaram plataformas para nos ajudar a blindar nosso cérebro contra o desperdício de tempo. Uma delas é o StayFocus que bloqueia sites que podem roubar sua atenção.

BÔNUS: Recompense seu próprio esforço
Cuidado para não ser rigoroso demais com você mesmo. A auto-culpa não lhe ajudará a avançar. Estabeleça metas possíveis e reais e premie-se assim que conquistá-las. A recompensa pode ser uma ida ao cinema, andar de bicicleta… Enfim, mostre a você mesmo os benefícios dessa mudança de atitude e dificilmente voltará a cultivar os hábitos anteriores.

Queremos conhecer você!
O que anda tirando sua atenção? Já experimentou alguma técnica para eliminar a procrastinação? Vou adorar saber a sua experiência e, com certeza, ela podera ajudar outras pessoas também. Escreva aqui nos comentários 🙂

Scroll To Top