Receba novidades no e-mail

CONTEÚDO VIP

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Síndrome do Esgotamento Profissional

Síndrome do Esgotamento Profissional

Nós sabemos que as rotinas das pessoas – e a nossa própria rotina – andam cada vez mais desgastantes e cheias de tarefas, prazos e atividades a serem cumpridas.

Acontece que se não respeitarmos nossos próprios limites, podemos comprometer nossa saúde como resultado de acúmulo de tanto estresse.

Conhecida como Síndrome de Burnout, a Síndrome do Esgotamento Profissional, é causada por estresse físico e mental no trabalho, e resulta em tensões e estresses crônicos.

Essa síndrome acomete principalmente controladores de voo, executivos, profissionais da área da saúde, profissionais da educação, bombeiros, policiais, agentes penitenciários, assistentes sociais e profissionais de recursos humanos, que são profissões que exigem intenso envolvimento interpessoal e emocional.

 

Trabalhar demais é prejudicial à saúde

Uma das consequências de não gerir direito o próprio trabalho é que ao longo do tempo a pessoa vai perdendo o interesse aos poucos por aquilo que antes tinha prazer em fazer.

Sem que ela perceba, aquilo começa a se tornar um peso para si, cada vez maior, a rotina começa a pesar mais e qualquer coisa se torna mais interessante do que aquilo que ela faz.

Começa então a boicotar o próprio trabalho, e a desistir aos poucos, por falta de energia e estímulo, e isso acontece, muitas vezes, sem que ela perceba a real causa do problema.

Porém, isso não afeta só a pessoa que está sofrendo com a síndrome, mas todos os que trabalham com ela. Isso acontece de diversas maneiras, sendo que a mais notória é a falta de serviços que o sindrômico deveria prestar para os seus colegas de trabalho, e não mais o faz.

Isso pode levar a uma sensação de que ele não é mais útil no ambiente de trabalho, já que os seus serviços não têm dado muito resultado e o reconhecimento agora já não é como era antes. O sentimento de incompetência profissional começa a surgir, porque agora quem dependia dele já não demonstra tanto interesse e reconhecimento pelos seus serviços.

Os sintomas dessa síndrome geralmente não são perceptíveis por outras pessoas fora do ambiente de trabalho.

Quem tem uma tendência maior a desenvolver a Síndrome de Esgotamento Profissional são os que vivem sob constantes ameaças de todos os tipos, como mudança de salário, mudanças na carga horária, ameaças de cortes, demissões, perda de autonomia em qualquer processo onde ele era o principal responsável, e diversos outros motivos.

Claro que isso não se restringe apenas a essas situações e nem a esses profissionais, mas é o que geralmente acontece.

 

Como é feito o diagnóstico da Síndrome do Esgotamento Profissional

Essa síndrome não é de fácil diagnóstico, porque os sintomas são muito parecidos com outros problemas, como depressão e ansiedade. Eles podem ser tristeza, isolamento, nervosismo, cansaço, insônia, perda de paciência muito facilmente, constantes mudanças no humor, além de que sempre que surgir uma possibilidade de inventar uma desculpa para não trabalhar, ela será usada.

O diagnóstico deve ser feito por um médico, e ele é feito com base no que o sindrômico relata. Geralmente, o grau do problema é maior dependendo de qual relação ele tem com o trabalho. Entretanto, vale ressaltar aqui um ponto: os motivos pelos quais um indivíduo pode desenvolver a Síndrome de Burnout não são os únicos que foram citados.

Estamos vivendo uma Era de avanços constantes na tecnologia e cada vez mais competição no mercado de trabalho. Então, acaba se tornando algo inerente aos trabalhadores viver sob pressão de superiores e dele mesmo, com o pensamento de que precisa resolver mil coisas ao mesmo tempo, e que mesmo que não dê conta, vai dar um jeito de resolver.

Nós mesmos acabamos nos colocando esse fardo enorme nas costas sem se dar conta, e quando percebemos, já pode ser muito tarde.

 

Existe tratamento para a Síndrome do Esgotamento Profissional?

Sindrome Esgotamento Profissional

Existe tratamento para essa síndrome e se ele começar desde cedo, o quadro pode ser reversível. São várias as maneiras de se tratar a síndrome do esgotamento profissional, e pode ser principalmente através de um tratamento psicológico.

O indivíduo deverá nesse momento esquecer-se do trabalho, dar prioridade para as coisas que ele gosta de fazer, dar um tempo para si mesmo, para descansar e ser feliz. Deverá ainda separar sua agenda e dividir seus horários entre trabalho, lazer, descanso e atividade física.

Isso já é extremamente importante para qualquer um, mesmo que não seja portador da síndrome do esgotamento. Para quem sofre com isso então, mais ainda.

O problema é que quando a pessoa já está em um nível mais avançado da síndrome, acaba se esquecendo de viver o que há além do trabalho, deixa de separar esse tempo essencial e às vezes até leva os problemas do trabalho para casa, misturando problemas pessoais com os problemas profissionais.

Quando a síndrome de esgotamento profissional está em um estágio mais avançado, só apoio psicológico não resolverá. Nesse momento é importante pedir um afastamento temporário do trabalho e se dedicar somente ao que vai lhe fazer bem, como descansar, praticar um esporte, curtir os pequenos momentos da vida, em geral.

O tratamento nesse estágio é feito também à base de remédios, junto com um acompanhamento médico, além do tratamento de um psicólogo.

Entretanto, o melhor remédio para Síndrome do Esgotamento Profissional é praticar atividades físicas. Elas não só fazem bem para o corpo e para a mente, como trazem diversos benefícios ao corpo. Alguns dos benefícios são:

 

  • Melhora na respiração
  • Melhor circulação do sangue
  • Prevenção de diversas doenças
  • Regulação hormonal
  • Sentimento de bem-estar

 

Em hipótese nenhuma o paciente deverá usar a desculpa de que não tem tempo para esse tipo de coisa. A procrastinação é o primeiro passo para que os problemas comecem a se acumular e virem uma bola de neve.

É importante entender que a nossa saúde mental e física está acima de qualquer coisa, principalmente do trabalho. Se for o caso, será preciso reformular toda a grade de horários, incluindo a do trabalho.

Experimentar mudar, experimentar o que é novo, pode ser a melhor maneira de contornar esse problema. Viver uma vida feliz e saudável sempre foi e sempre será a chave para a resolução de todos os problemas.

3 comentários

  1. Excelente artigo. Nota dez. Essa síndrome quase desconhecida pela maioria, faz um estrago psicológico enorme em uma pessoa. Amei o artigo. Muito bom mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. *

*

Scroll To Top