Receba novidades no e-mail

CONTEÚDO VIP

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!
O poder da convicção

O poder da convicção

Todos nós passamos por momentos delicados e situações que exigem autocontrole e paciência. E em meio a esse panorama, é necessário manter-se motivado para enfrentar os desafios que surgem em nosso caminho. Ter convicção de que há sempre uma alternativa adequada a todos tipos de questões, é extremamente fundamental para lidar com as problemáticas da vida.

No que se refere à carreira profissional, por exemplo, desenvolver o poder da convicção é primordial para quem lida com situações de liderança, gestão de pessoas, ou mesmo, para o profissional que tem pela frente um desafio na carreira. De qualquer forma, de maneira geral, quando estamos convictos da obtenção de bons resultados, nos tornamos mais corajosos e ganhamos em autoconfiança. Estar seguro de nossas ações, ter convicção de nossas funções e de como devemos agir nos oferece autocontrole, para enfrentar quaisquer desafios. Muitas vezes, ignoramos nossas potencialidades e capacidade de reverter os contextos mais adversos.

Autocontrole ou autoestima?

Obviamente que autoestima é um combustível essencial para conquistar objetivos, mas há quem discorde que ela seja mais importante do que o autocontrole. O psicólogo norte-americano Roy Baumeister, da instituição Florida State University, afirma em entrevista à revista “Época” – em 11 de novembro de 2011 – que ter autoestima não significa, necessariamente, ser bem-sucedido no trabalho ou estudos. Para ele, pessoas de sucesso são especialistas em autocontrole.

Segundo o norte-americano, a autoestima é uma “consequência” e não a causa. Neste caso, então, o autocontrole é muito mais efetivo, no que se refere a auxiliar as pessoas na obtenção do sucesso. Baumeister destaca que nos dias de hoje, a sociedade precisa ter mais autocontrole do que séculos atrás. Ele cita o exemplo de um agricultor, que poderia trabalhar, mesmo se estivesse um pouco embriagado.

No mundo atual, é inconcebível que uma pessoa consiga realizar as atividades profissionais dentro de um escritório, sob o efeito do álcool. Bom, com base nessa questão, fica claro que no passado, com menos autocontrole, as pessoas costumavam fazer coisas impensáveis aos dias atuais, mas claro que se tratam de contextos e épocas diferentes. Não se pode dizer que as sociedades anteriores agiam de forma equivocada, é correto, sim, afirmar que essas posturas não são aplicadas à sociedade de hoje. Então, talvez, estejamos inseridos num contexto em que o autocontrole é extremamente importante para as relações em sociedade.

Poder da convicção e o autocontrole

E qual é a ligação entre o poder da convicção e o autocontrole? Bom, esses dois elementos se dialogam e se complementam também. Vamos imaginar a seguinte situação, suponhamos que uma estagiária da área de TI (Tecnologia da Informação) recebe um desafio de seu gestor. Bom, trata-se de um projeto desafiador para ela. A nossa estagiária é uma estudante dedicada e tem reais chances de se tornar uma excelente profissional da área.

Contudo, obviamente, ela se sente insegura para executar o projeto delegado pelo gestor. A nossa amiga tem receio de não conseguir realizar o trabalho almejado, o que é perfeitamente normal. Entretanto, ela deve se dedicar para concluir o trabalho com sucesso e nesse panorama, será preciso ter autocontrole, manter a calma, refletir com serenidade sobre as principais decisões a respeito do projeto. Ela precisa acreditar em seu sucesso. Então, o autocontrole, aliado à autoconfiança, se unem ao seu poder da convicção. Ela acredita que conseguirá fazer um bom trabalho, pois sabe de seu potencial e sua capacidade.

Percebeu como esses “elementos mágicos” se dialogam e se complementam? Ambos são eficientes e importantes para alcançarmos os nossos objetivos. Portanto, em meio a todas essas questões, percebemos que é primordial entender que somos fortes e capazes para lidar com quaisquer problemas. É preciso ter coragem e confiança em nós mesmos.  então, vamos acreditar no poder da convicção e não deixar de lado o autocontrole.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. *

*

Scroll To Top