Receba novidades no e-mail

CONTEÚDO VIP

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Como tornar-se um profissional de alta performance?

Como tornar-se um profissional de alta performance?

A busca pela alta performance é perseguida em várias áreas do conhecimento. No âmbito corporativo, por exemplo, essa qualidade é característica de profissionais que se destacam e superam metas, tendo uma produtividade bem acima da média. No esporte, é atribuída essa definição àqueles que atingem resultados extraordinários, quebram recordes e vencem barreiras (já falamos por aqui o que está na mente desses campeões). No campo da educação, são aqueles que conseguem destaque com notáveis trabalhos no campo acadêmico e científico. E por aí vai!

Mas… como melhorar a sua performance profissional? Aos interessados nessa resposta, convidamos a manter o foco nesse post, no qual traremos recomendações valiosas para mostrar o caminho a ser percorrido. Para entender melhor como isso funciona, vamos iniciar tratando daquilo que é mais importante: o propósito de sua vida!

Paixão: pontapé inicial para o sucesso

Profissionais com alto desempenho têm em comum um propósito claro para a suas carreiras. Não são nem um pouco adeptos daquela máxima que diz: “deixa a vida me levar…” e que o Zeca Pagodinho tornou bem popular. De maneira nenhuma! A condução da vida profissional desses que alcançam a alta performance no trabalho passa por ter uma paixão por aquilo que faz e é justamente isso o que faz essas pessoas acordarem com imensa disposição, inclusive numa segunda-feira bem cedinho. Quer ver só três comportamentos que podem nos levar à paixão no trabalho?

Deixe as reclamações de lado

Enquanto muita gente reclama do primeiro dia útil da semana, os profissionais diferenciados buscam canalizar em si as energias positivas, afastando-se dos pensamentos negativos que nada agregam e só atrapalham o desenvolvimento das suas potencialidades. Não se trata de fechar os olhos para os problemas e viver no mundo cor-de-rosa. Mas, ter atitude proativa para resolver os desafios que surgirem.

Sempre pense no objetivo

Outra maneira de fazer você ter paixão pela atividade profissional que exerce é lembrar o porquê de tê-la escolhido, de ter ingressado na sua empresa ou aberto seu próprio negócio. As situações difíceis que vamos passar não devem ser motivos para desistir e, sim, desafios para nossa mente superar aquele momento. Se a motivação não surgir, é hora de repensar se a atividade profissional está realmente alinhada ao propósito traçado por você para a sua vida.

Olhe para frente, sempre!

Quem tem paixão, normalmente tem um objetivo a alcançar. E isso deve ser revisitado pela nossa mente o tempo todo. Olhar para a frente, para o futuro, é uma maneira de manter acesa a esperança de progredir, um combustível que pode trazer resultados extraordinários em nossa mente.

E o seu propósito, qual é? Recomendamos a você que relembre sempre seu objetivo, sua meta a ser alcançada, para recordar o que o move a acordar cedo, a seguir adiante. Caso ainda não tenha, não se preocupe: nós temos um post que o ensinará a como traçar uma meta, um objetivo.

Transpiração e planejamento

Não basta também ter uma meta, se não houver uma estratégia para alcançá-la. Aí entra uma ação importante e, muitas vezes, esquecida por alguns profissionais: o planejamento. Afinal de contas, tão valioso quanto saber onde se quer chegar, é traçar o caminho para atingir o seu propósito. Gosto muito dessa frase de Thomas Edison que fala: “A genialidade é formada de 1% de inspiração e 99% de transpiração” (falamos sobre isso também em um post por aqui).

Traçando um paralelo, entendemos a inspiração como aquele estalo que o entusiasma ao primeiro passo. Mas a transpiração significa os passos seguintes, como que movidos pela energia inicial disparada. Para você compreender melhor veja o resultado de um estudo da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, nos Estados Unidos. A pesquisa constatou que apenas 8% das pessoas no mundo conseguem cumprir os objetivos das metas traçadas no Ano-Novo. “Deixamos a metas pelo caminho porque não temos comprometimento com nós mesmos”, diz a coach norte-americana Heidi Reeder.

Veja como planejar bem uma meta:

  1. Estabeleça metas reais, sem ilusão
  2. Pense em situações que podem levá-lo a não chegar lá
  3. Divida este grande objetivo em pequenas tarefas
  4. Estabeleça um cronograma (meta sem prazo, não é meta)
  5. Compartilhe esse objetivo com amigos e familiares
  6. Tenha disciplina para cumprir o que estabeleceu
  7. Não desanime diante do primeiro desafio
  8. Revise semanalmente sua meta
  9. Comemore as pequenas conquistas
  10. Dedique-se com paixão para chegar ao objetivo

Duas características são absolutamente válidas nesse item: desenvolver a resiliência e a Inteligência Emocional, que possuem aplicações bem similares. O primeiro conceito diz respeito à capacidade que cada um de nós possui para superar obstáculos ou resistir à pressão, diante das situações bem adversas (fim de mês e o desafio de fechamento de metas, de relatórios ou mesmo as contas a pagar, e assim por diante). Já a Inteligência Emocional tem tido um peso bem importante hoje no processo de recrutamento e seleção das corporações. Daniel Goleman a conceitua como a capacidade de o indivíduo compreender e administrar suas emoções, controlando-a diante dos mais diversos fatores externos, como interação com as pessoas.

Excelência, acima de tudo

Outra característica comum à pessoa de alta performance é ter um foco em resultados, não se contentar com pouco, com qualquer resultado. Uma atitude bem diferente dos indivíduos que permanecem na zona de conforto (sobre a qual já falamos por aqui blog). A partir do momento que se estabelece um propósito (primeiro item que tratamos no texto) e tenha se traçado uma meta, como mencionamos há pouco, a busca pela excelência é outro objetivo a ser percorrido.

Por isso, acompanhar os resultados alcançados, pouco a pouco, deve ser um mantra daqueles que desejam sair do baixo desempenho. Até porque observar isso durante a execução da meta será mais proveitoso do que somente olhar ao fim do processo. Corrigir as atitudes erradas, pouco a pouco, será mais assertivo do que olhar para trás assim que concluída toda a caminhada.

É natural nos profissionais de alta performance se cobrarem bastante. Nesse ponto, é válido abrir um parênteses: essa cobrança é saudável quando nos impulsiona a seguir para a frente. Tome cuidado para que ela não seja severa. Caso contrário, esse sentimento pode desencaderar consequências piores, a exemplo do transtorno de ansiedade e outras reações físicas que podem custar a sua saúde. #ficadica

INFOGRÁFICO: 7 atitudes do profissional de alta performance 

Como alcançar a alta performance
Colabore e estabeleça conexões

Os maiores especialistas em tendências apontam a economia compartilhada como uma das grandes transformações deste século. Por isso, quem busca a alta performance não pode ignorar isso. Num mundo tão dinâmico como o nosso é impossível buscar o sucesso apenas considerando o esforço individual. Ele é importante, não dá para negar, mas em um contexto tão conectado como o atual integrar esforços, buscar apoio e ajudar quem está ao lado, torna-se um fator de diferenciação profissional que busca o alto desempenho.

Uma clara vantagem daquele que se dispõe ao trabalho em colaboração é o aprendizado. Estar aberto a observar como outras pessoas executam tarefas pode propiciar um conhecimento e tanto. Todos têm a ensinar uns aos outros: mesmo aqueles que chegaram a menos tempo na corporação. Para se beneficiar disso, é fundamental desenvolver uma postura de observação e diálogo, longe de ideias pré-concebidas, alimentando diálogos produtivos.

Quer uma experiência legal nesse sentido? Aproveite a hora de almoço para conhecer melhor quem está ao lado. Em vez de ir sempre almoçar no mesmo lugar, com as mesmas pessoas, proponha-se a conviver com outras pessoas para entender melhor as necessidades e talentos que os indivíduos à sua volta possuem. Essa troca possibilitará um exercício de empatia sem esforço.

Mantenha seu networking, reative contatos de outros profissionais que conheceu na época da faculdade ou de empresas anteriores. Uma experiência bem-sucedida que conheço nesse sentido é a de um amigo, que mantém uma planilha com as informações de quando conheceu as pessoas. Nela, preenche que assunto tratou, onde encontrou cada uma delas, as preferências e gostos e por aí vai. De quando em quando, envia mensagens pelas redes sociais ou e-mail, recomendando leitura de notícias ou relatórios para essas pessoas, mostrando que realmente se importa com cada uma delas.

Desenvolver um trabalho voluntário, ter uma atitude altruísta, colabora para que possamos encontrar ainda mais sentido àquilo que estamos nos dedicando — e, de quebra, aliviar a mente diante da correria que temos no nosso dia. Muitas vezes quando dedicamos uma parte do nosso tempo a ajudar pessoas que passam por inúmeros desafios fortalecemos nossas boas energias. Muitos especialistas em gestão de pessoas recomendam que as empresas incentivem essa prática, inclusive, a realização de projetos paralelos à atividade profissional. Ficar focado 24 horas no seu trabalho e nos seus desafios pode sufocá-lo. É importante ter atenção a isso!

Para concluir esse post, convido à reflexão dessas palavras de Winston Churchill, que diz: “O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo”. A alta performance no trabalho passa exatamente por isso: estabelecer uma meta (sem procrastinar), superar os percalços a trajetória, conservar o entusiasmo e seguir rumo ao sucesso.

E você: o que faz para alcançar o alto desempenho em sua carreira? Conte para gente nos comentários abaixo. Até a próxima!

Scroll To Top