Receba novidades no e-mail

CONTEÚDO VIP

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!
A autocrítica negativa pode minar sua autoestima

A autocrítica negativa pode minar sua autoestima

A autocrítica é uma avaliação que o indivíduo faz internamente. Em si, ela não é um problema. Longe disso! A partir dela é possível traçar uma autocorreção, o que é sempre positivo para avançarmos. O problema começa quando ela passa da medida, tornando-se uma cobrança excessiva, que beira a neura. Nesse estágio, muitas pessoas apresentam comportamentos similares aos que são percebidos naqueles que se consideram perfeccionistas.

Um dos primeiros (e talvez mais graves) sintomas dessa cobrança pesada se manifesta na autoestima. E ela é justamente resultado de um sentimento que cada indivíduo tem sobre si mesmo, quase que uma opinião sustentada internamente. Equalizar essa percepção (o que se imagina ser) com a realidade (aquilo que realmente é) se configura como uma importante chave para a vitória. Trouxe para esse post informações que podem lhe esclarecer sobre o assunto. E mais: convidar à mudança de atitude, para que você alcance os objetivos traçados.

De onde vem esse problema?
Normalmente, uma pessoa com baixa estima fica nesse estado a partir da absorção de críticas e autocríticas bem severas. Também é comum perceber esse comportamento em pessoas que cultivam sentimentos de culpa, carência e frustração. Ainda podem ter passado por um episódio marcante de humilhação, que pode ter contribuído para agravar o estado psicológico.

Quem pode desenvolver isso?
Qualquer pessoa e em qualquer idade. Há muitas crianças que desenvolvem a baixa estima logo cedo, a partir de situações sobre as quais falamos acima, muitas vezes ocasionadas pela pressão dos pais, de amigos ou mesmo da escola. Essa super cobrança pode resultar num quadro de autocrítica negativa, desde cedo. Por isso, é importante estar atento às causas e consequências para saber o momento certo de agir.

Quais efeitos para o seu corpo?
A autoestima abalada apresenta reflexos que podem ser claramente sentidos pelo nosso organismo. É o que sugere um estudo feito pelo Centro Internacional para Saúde e Sociedade, na Inglaterra. Os pesquisadores concluíram que as pessoas que carregam esse sentimento ruim dentro de si estão mais propensas a diminuir atividade do sistema imunológico. O que pode facilitar o desenvolvimento de várias doenças, entre elas infartos e acidente vasculares cerebrais (AVC).

Quais são consequências para você?
Uma pessoa nessa condição apresenta comportamentos que demonstram insegurança e consequente medo de mudanças (que pode aproximá-la da zona de conforto). Há, ainda, internamente uma sensação de que o indivíduo não é capaz de resolver nada, gerando outras atitudes perigosas como a necessidade de querer agradar ou obter aprovação dos que estão à sua volta.

BÔNUS: A psicóloga norte-americana Joyce Brothers, que faleceu há dois anos, deixou vários ensinamentos importantes sobre a busca pela força interior. Em uma de suas frases mais célebres, cravou: “Uma autoimagem forte e positiva é a melhor preparação possível para o sucesso”. Cuide (muito) bem da sua autoestima! A autocrítica é bem-vinda, mas ela precisa ser sua aliada e não sua inimiga. #ficadica

E, você, o que tem feito para cuidar da sua autoestima? Conte para nós, escrevendo nos comentários abaixo!

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. *

*

Scroll To Top